fbpx

EPS. Quanto você sabe sobre ele?

Compartilhe este post:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Ei, Leitor! O texto de hoje vai usar alguns termos diferentes, mas se você for arquiteto ou engenheiro vai fazer um pouco mais de sentido. Vamos lá!

Para os engenheiros e arquitetos que querem usar EPS na construção, antes de mais nada, é sempre bom lembrar que primeiro devemos respeitar as normas da ABNT para construção civil. 

Vale lembrar também que, a espessura, tamanho e densidade devem ser adequados de acordo com o que é melhor para cada obra, a fim de obter o melhor isolamento térmico para o projeto com o EPS.

Essa capacidade do isolamento térmico é expressa no coeficiente de condutividade térmica.

Quanto menor o coeficiente, maior a capacidade do isolamento térmico e por isso devemos considerar a espessura das placas ou blocos de EPS usadas na obra. 

Entre suas características técnicas, as placas têm um coeficiente de condutibilidade térmica menor que 0,033 W/(m.K). “Por apresentar pouca condutibilidade, o EPS aumenta a resistência térmica da composição da envoltória (parede ou cobertura) onde está empregado”, diz Monica Dolce, doutora em tecnologia da arquitetura na linha de conforto ambiental pela FAU-USP.

Cada projeto tem sua exigência e além do isolamento térmico, já se sabe que o EPS permite que as construções sejam mais leves, economizem água e ainda é um material que pode ser 100% reciclável. 

Ele apresenta o melhor custo benefício quando comparado com outros materiais. Mas, somente com a correta especificação e instalação dos painéis é que é possível reduzir gastos com energia efetivamente.

E aí, aprendeu alguma coisa nova?

Deixe um comentário

Posts relacionados